gerador de tensões

O movimento mundo, gira em torno de si mesmo e em torno de outros. Não é o que parece e duvido cada vez mais de que seja realmente o que é…

O movimento muda… mudam as cabeças. Algumas pensam, outras se iludem. Nos perdemos… nós perdemos. Perdemos o sentido, a direção, o senso do ridículo, a decência, a competência, a credibilidade, e pior do que tudo, a esperança.

Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2008, e os previsíveis jornais voltam a lembrar a data “do começo do fim do mundo”, não, não é o festival punk, é a data em que o império-capitalista pseudo-democrático se abalou. Talvez seja uma grande farsa, talvez seja o balde de água fria de que volta e meia precisamos levar para acordar. Vai ser maldita assim essa data para ser tão lembrada até hoje. O mundo não acabou, o sonho americano continua aí. Um imenso vazio, em vez de fazer a cidade respirar, só faz ela lamentar. Se fossem lembranças boas tudo bem, mas há mais lágrimas e sentimento de orgulho, não o bom, mas aquele (que também não é ruim) de que as pessoas batem no peito, mas com lábios, punhos e expressão fechados.

Enquanto isso um buraco negro pode-se abrir e logo logo ou acharemos soluções para muitos problemas, ou criaremos mais problemas, se não o maior deles. 20 anos, 9 bilhões, 27 km. Cutucando a ferida menor em tamanho, mas enorme em proporções, manipulando o que nos faz sermos como somos. Manipulando sim, brincando, testando, experimentando, mas em nós mesmos nem cogitamos ter controle sobre partículas tão pequenas.

Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2008, falta de centro, falta de rumo, falta de estrutura psicológica. Me perco, me deixo levar, me levo aonde não queria estacionar. Se esse for eu mesmo, não quero mais brincar.

O grande experimento humano de tentar recriar o momento da criação do universo gera polêmica, mas acima de tudo gerará tensão enormemente importante, seja isso bom ou ruim. Acelerador de partículas, tensão, choque.

Fico imaginando até que ponto cientistas são geradores de conhecimento e geradores de especulações. Fico transtornado com o fato de governos serem tão claros quanto sombrios ao ponto de permitirem e tolirem conhecimento, informação, movimento, cultura… Fico imaginando até que ponto a ação humana é contraditória.

Talvez se o buraco negro não for gerado, talvez o meu já esteja formado. Sou eu mesmo meu próprio manipulador, meu acelerador e retardador de partículas, sou eu meu próprio gerador de tensões.

Tchau, nesse momento, para o eu dentro do meu próprio eu… tchau para o meu eu que eu não quero ser.

Anúncios

3 pensamentos sobre “gerador de tensões

  1. Palmas!

    Não sabia que por trás dessa cabeleira havia um poeta escritor!

    Ok,
    sabia,
    mas havia até esquecido.

    É uma ótima agradável surpresa ver que escreve realmente bem. Meus parabéns.

    Continue assim, não! Faça mais, melhore, mas melhore como alguém que sabe que está em um rio e indo em direção ao mar. Deixe fluir, encontre o oceano de sua plenitude.

    Grande abraço,
    e boa travessia. ;)

  2. Grande Roger!
    Tu é mesmo O CARA!
    Sempre surpreendendo em… Não sabia que escrevia tão bem assim.

    Parabéns meu amigo, o blog ficou suprer legal.

    Grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s