revoluções por minuto

Qual seu estilo preferido de música, de roupas, de movimentos artísticos? Qual sua cor favorita, salgado ou doce, seco ou molhado, quente ou frio? (…) Escolhas, caminhos, estilos. A vida é mais hardcore do que parece, talvez não. Mas é muito mais “rap-rock-and-roll-psicodelia-hardcore-ragga”, é pop, mpb, samba, eletro. Não só em termos de música, mas escolhas de vida.

Vivemos aqui, ali, vivemos em lugar algum ou em vários lugares, e por incrível que pareça, até em mais de um lugar ao mesmo tempo. Aqui parece cômodo, mas às vezes é um … cômodo vazio. Se “lá” parece distante, mas é possível que se torne realidade, presente. Só que incômoda mesmo é a posição de estagnação, de inércia, de ver que o eixo está cada vez mais deslocado, e o movimento é frenético à nossa volta.

O tempo louco lá fora já deixou de ser um “sinal” há muito tempo, é uma realidade, é o reflexo da nossa ação sobre o mundo, sobre a natureza. Hoje, espaços ganham asfalto mais rápido do que esperamos, em épocas de eleição então, nem se fala. Onde, um certo dia, havia a antiga casa dos nossos antepassados, hoje há prédios que acoplam valores, realidades e mais gente que a nossa família inteira. É como se cada prédio fosse um universo inteiro. Um Centro da Cidade, por mais antigo e histórico que pareça, abriga as mais modernas tecnologias e formas de pensamento, comportamento e atuação estratégica. Mas nem nos damos conta até adentrarmos essas portas.

Continuar no nosso mundinho parece tão previsível, certo? O que, então, me faz evitar de botar a cara na rua e visitar o maravilhoso circo do mundo? Talvez eu ainda acredite em certos sonhos, mesmo que utópicos, talvez eu creia mais na capacidade e personalidade das pessoas do que no perfil das instituições. Talvez eu esteja errado, perdendo meu tempo. Talvez … e se … ou não, vai saber.

Belo toque que me foi dado hoje. Alguma hora a pressão da garrafa jogará a tampinha longe, a coisa toda vai estourar, derramar, e o estrago já terá sido enorme. Queixas e reflexões, inquietações internas são boas, mas é preciso externar isto, fazer com que o meu ser seja capaz de mudar o meio, e não só o contrário.

Temos em mãos as escolhas, mesmo que uma profusão delas. Temos oportunidade de fazer muitas revoluções por minuto, de não sermos só passivos a isso.

Anúncios

3 pensamentos sobre “revoluções por minuto

  1. Oi, hoje que consegui entrar no Orkut para ver seu recado.

    Bem legal o blog, muito bom você ter voltado a escrever !

    Também está fazendo muito bem em sair do nosso mundinho habitual ! !

    Cuidado com a pressão ! ! !

    Depois eu volto e leio os posts mais antigos, tenho q ir té+
    Glauco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s