sim, e daí?

Careta sim, já aviso logo, então se não estiver afim, nem precisa continuar lendo.

Nada contra quem fuma, bebe, cheira, se droga, se mata, … que se dane, mas não suporto que venham ficar me oferecendo essas coisas. Já experimentei algumas coisas, e não vi a menor graça ou algo que fosse relevante ou interessante para mim. Quando falo que já experimentei, retornem ao primeiro parágrafo e lembrem-se que sou careta, então experimentei o que me deu na telha, na medida do possível! Também já deixei de experimentar e recusei muitas coisas que não julguei interessantes para mim, por não estar afim, por achar que não fariam falta alguma na minha vida.

Se as pessoas querem alimentar seus vícios, se precisam de certos artifícios para se mostrarem, se revelarem, problema é delas, e não meu. Eu sou eu, sou assim mesmo, mostro e escondo o que quero e bem entendo, não quero e nem preciso me afogar em mares destilados ou fermentados para preencher minha existência de cor e vida. Se oras não tenho cor ou graça, é porque sou assim, mas ao menos não quero me entregar a certas falcidades ou momentos soltos de pura ilusão. Pessoas que se revelam divertidas demais, alegras demais, bonitinhas ou oferecidas demais após alguns goles, que me perdoem, mas deixam-se e mostram-se vazias ou fracas, pois precisam dessas muletas para revelarem seu verdadeiro eu. Se não têm coragem, que me desculpem, mas não é bebida ou drogas que vão lhes levar a glorificação.

Se é por vício, que o meu seja então sobre doces, sobremesas, prefiro muito mais isso, que posso me deliciar no gosto, sem medo de viajar para outras dimensões e percepções que não as físicas, gustativas… etc. Prefiro muito mais o pé no chão e me deliciar, lambuzar desses prazeres que me perder em terra de onde você sabe o que do bêbado não tem dono.

Careta sim, mas vou vivendo. Tem gente que não sabe os limites e está se perdendo.

Anúncios

12 pensamentos sobre “sim, e daí?

  1. Fala meu brother Marçal… Obrigado pelas palavras carinhosas lá no meu blog… Valeu mesmo!
    Sabe mulekão, eu talvez seja quem mais concorde com teu texto, de verdade, nesta tua verdade… Eu acho um cara de atitude, quando esse coloca toda sua verdade nas verdades do mundo, por exemplo, negar-se a experimentar um entorpecente! Fantástico, mostra personalidade… A maioria, pelo “social”, aceitaria mesmo, mesmo a contra gosto!
    Elogio aqui tbm sua capacidade de manter-se ileso na sociedade sem auxílios dos anti timidez (depressivo, melancolia, etc)…
    Só ha uma coisa, não concordo plenamente… E pensar que os que usufruem desse artifício, são pecaminosos… Talvez gente mais fraca, talvez gente c; diferentes necessidades de pessoas como vc (esclarecido…). Eu não defendo as drogas aqui nestes pensamentos… Mas, mais ou menos como diz Caetano, o importante e gozar não importa como!
    Espero que tenha entendido, não sou fã de drogas, apenas a favor da felicidade. Quem sente dor toma remédios só p; descansar durante o efeito que ele dure!

  2. E aí Wlado.

    Entendi perfeitamente sua colocação. Fiquei com certo receio de algumas possíveis más interpretações do texto, mas se fosse ficar pensando nisso, deixaria de escrever.

    Concordo com você, também não tenho nada contra quem use essas coisas, até porque conheço e conheci pessoas que usam e usaram, enfim… Concordo que cada um deve buscar sua felicidade e prazeres da forma que for, por isso também sou super a favor de outras coisas, formas de amar, independente do sexo das pessoas envolvidas… Adorei a referência do Caetano, perfeito, o lance é aproveitar, independente de como seja mesmo.

    A minha queixa e crítica foi em relação ao fato das pessoas acharem que porque elas usam, as outras também devem usar, e a entrega, às vezes imperceptível de que alguns deixam de aproveitar a vida porque se entregaram a alguma forma falsa. Ou seja, em vez de estarem gozando e aproveitando, passaram para um nível tal aonde isso nem é mais possível.

    Abração.

  3. Marça!!! e isso ai vc tem todo a razão, fechaste com chave de ouro, acho totalmente inconveniente aquele que acha que vc tem de fazer o que ele acha bom… Acontece isso em outros setores, por ex, eu não compro nada roubado, nem som de carro… já fui chamado de idiota por isso… Tive do dessas pessoas! abração!

  4. “Nada contra quem fuma, bebe, cheira, se droga, se mata…”

    “que se dane”

    “não quero e nem preciso me afogar em mares destilados ou fermentados para preencher minha existência de cor e vida.”

    “A minha queixa e crítica foi em relação ao fato das pessoas acharem que porque elas usam, as outras também devem usar.”

    Meu comentário, sendo usuário de maconha, cocaína, crack, cigarro normal e bebidas alcoolicas, é que você lúcido não percebe que está viajando nesse texto, que está sendo extremamente preconceituoso, tanto quanto quem te oferece algo que você não quer e insiste. Tabu básico com drogas, assim como temos com sexo – culpa do imaginário humano. Afinal, não iria ler um texto aqui criticando uma mãe de amigo que fica insistido para que comamos a sobremesa. E geralmente elas cozinham tão mal, que a sobremesa é droga pesada…

    Se não tem nada contra, não justifique o uso de drogas com a sua visão pessoal do assunto. Ou então me dê o direito de dizer que se você eventualmente aceita a sobremesa “por educação”, é porque talvez seja fraco, hipócrita, interesseiro, queira agradar, está fugindo da realidade…

    Sacou?

  5. É muito chato gente careta… Numa boa, eu prefiro loucos, de natureza ou não… E quem é louco por natureza não se incomoda com a loucura artifical alheia… E o interessante em se falar com conhecimento de causa é dar embasamento para a opinião, para não ficar só no eu acho… Eu sei o que digo quando afirmo que existem drogas que são oferecidas pros amigos – e são as menos malvadas. Quando a pessoa nem oferece mais, aí sim é problema… Ou não. Whatever.. Só falando merda…

  6. você diz não ter nada contra….e depois passa o texto todo criticando as pessoas que usam drogas.

    As pessoas não deixam de aproveitar a vida porque usam drogas. Assim como você diz não deixar de aproveitar a sua sem precisar de nenhum artificio.

    Não quer se entregar a momentos de ilusão? Difícil, hein.
    Então comece a rever um monte de coisas em sua vida, porque a maior parte dos relacionamentos e atitudes humanas são baseados em pura ilusão.
    Se vai criticar, critique a você mesmo também.
    Nunca usou qualqur artifício para fugir da realidade? Ok! Só não se esqueça que mentir, fingir que algo que te machuca não existe, aceitar por educação (como o kid disse alí em cima), tentar agradar, viver de comentários vazios em blogs, também são muletas. São formas de alimentar o ego. Formas, para mim, tão falsas como as drogas. Se não mais!
    Isso faz parte da ilusão do dia-a-dia. Faz parte da rotina, que faz muitos acreditarem que isso tudo vale a pena! E pode até ser que você realmente acredite que está vivendo da melhor maneira possível, mesmo se apoiando em valores ultrapassados, em argumentos pouco convincentes, e em conceitos pré estabelecidos.
    Só que isso também é fugir da realidade. Então não dá pra criticar os outros, né?

    Enfim, só queria que percebesse que para algumas pessoas, seu texto poderia terminar com uma frase um pouquinho diferente: “Careta sim, e vai perdendo. Tem gente que não liga parar os limites e tá vivendo”.

    Abraços

  7. Olá, querido.

    Mas nem precisarias dar quaisquer explicações.
    Queremos ou não. E, concordo contigo, há que haver contenção, limites, sim, em tudo, se alcança a fronteira do direito do outro dizer, não, não quero.

    Bem, adorei o teu protesto, sobretudo porque, nesta época do ano, ocorrem muitos excessos.

    Querido, que 2009 seja muito especial para ti.

    Carinho, sempre.

  8. E aí Kid e Carol, valeu pelos comentários. Depois me passem os links de vocês, se tiverem, para visitar.

    Sei lá, acho que pode ter rolado uma interpretação meio errada aí. Escrevi o texto porque me veio um momento em que, mais uma vez, não suportei a situação de ver uma pessoa da família se deixando levar por excesso de bebida, que nem foi tão excesso assim, mas que muda o comportamento.

    Minha crítica aí não foi em relação as drogas, como falei, não tenho nada contra, pois cada um sabe da sua vida. O que coloquei, e como comentei na resposta ao Wlado, foi que não acho legal as pessoas ficarem oferecendo, instigando coisas as outras pessoas, só por causa da convivência social. Isso que não acho legal, estar numa roda de amigos ou conhecidos, e as pessoas ficam oferecendo bebida, cigarros, outras coisas, e cada não recebido é quase como uma ofensa, uma caretice mesmo. O careta aí vem disso, brincar com esse fato, de que as pessoas rotulam as outras como caretas, certinhas, radicais, ousadas, loucos, insanos… seja lá o que for.

    É impossível sair nas ruas e não ver uma pessoa bebendo ou fumando, hoje em dia até se vê mais pessoas usando drogas. Tive caso em família de uso de drogas, tenho amigos que usaram ou usam, e isso é super normal, não critico elas. Mas também já passei por inúmeras situações e ir em festas e encontros e vários conhecidos e amigos ficarem me oferecendo uma cervejinha aqui, uma coisinha alí, uma tequila… e cara, eu não curto, e não fico com papos moralistas falando pra ninguém parar. Cada um é livre e pode e deve fazer o que bem entender. Volta e meia eu saio com amigos para bar ou encontro, todos bebem, eu não. Quem é meu amigo mesmo já me conhece e respeita isso, como eu respeito todos eles.

    E mais, como vocês colocaram, eu também concordo que cada um pode usar o que for. Ainda acho que fumar um cigarro, hoje em dia, não tem mais nada a ver com o liberalismo e contestação que tinha há tempos atrás, hoje vejo isso tão careta quanto não usar, haja visto que muitos de vocês sabem que alguns usam por escolha própria e alguns usam simplesmente por usar, para seguir a onda de outras pessoas, moda, etc. Ainda acho que fumar maconha deve ser muito mais interessante que fumar um cigarro careta comum, ao menos não é só fumaça que entra no pulmão, é algo que faz diferença na percepção, se é para usar, algo que dê mais prazer ou que faça a diferença.

    Carol, em nenhum momento me coloquei como quem foge desses escapismos, só em relação às drogas. Eu também, já contei minhas mentiras, imagino coisas, siuações, casos vazios, me iludo, sou meio utópico e sonhador às vezes, etc etc. Também acerto, também erro, sou humano. Escrevo em blog, rsrs, o que coloco é minha opinião, pode ser superficial e vazia, pode ter alguma base, pode ser só um devaneio, mas longe de mim, e quem me conhece sabe, que nunca quis estar certo da verdade, que talvez nem exista, coloco o que penso e acho, como respeito a opinião dos outros.

    Desculpem se isso gerou essa polêmica toda. E obrigado pela participação de vocês.

  9. Nada contra os vícios. Até porquê, as pessoas tb têm a capacidade de se esconderem na realidade. Tudo é máscara hoje em dia, com ou sem álcool. Logo, não faz diferença um mascarado sóbrio ou bêbado. Talvez o bêbado seja até mais original. Gosto sim do sabor da cachaça, do free light… E só não me jogo nas drogas pesadas pq não sei conseguiria parar. Acho que o mais bonito em ser humano é ter a liberdade relativa de experimentar ou não experimentar. Não tenho nada contra as pessoas que não experimentam, mas tb não tenho nada contra as pessoas que o fazem. Até pq, argumentar que as pessoas usam droga para se esconderem é simplista. As motivações humanas são mais complexas que isso, vai… Sejamos felizes, ébrios ou sóbrios. Cada um sabe o gosto que o chama e a dor e a delícia de ser o que se é (não me lembro de quem é essa frase). Seja com um chocolate da padaria ou um doce mais malicioso que esse rs Bjs

  10. E não se preocupe em ser mal interpretado, Rogério!! Blog é pra isso kkkkkkkkkkkkk Se tem uma coisa q eu adoro e q é mto divertida é quando me interpretam mal… rs Me interpreta mal aí, vai kkkkkkkkkkkkk Bjs

  11. Rogério, eu penso da mesma forma que vc, e você é menino ainda comparado a minha idade, mas quando tinha sua idade já se fazia largo uso de drogas e eu tinha alguns colegas que usavam, mas naquele tempo era algo mais oculto. O que penso e sempre pensei da minha vida é o seguinte: Eu gosto de estar sóbria, eu gosto de saber o que estou fazendo, e me desculpe quem usa ou bebe, mas não sabe, perde-se o controle e digo isso pq tenho casos na família de bebidas e drogas e nunca os vi fazendo uso disso e sendo coerentes, eles perdiam a noção , mas, se isso aos demais não é nada problema de cada um. Cada um faça o que achar melhor pra si. Eu acho que nossa sanidade mental é a coisa mais importante na vida, além da saúde claro. Já viu uma pessoa louca? Certamente sim, vê como ela age ? Sim vc já deve ter visto. Eu não gostaria de ser louca, eu amo minha sanidade como ja disse. Sim, eles podem dizer que sabem o que estão fazendo quando bebem ou quando se drogam, acredito que devem ter um auto domínio se é que isso seja possível. Eu não vejo assim pq todos os dias nós vemos o que a droga está causando, gente que rouba, gente que mata. Sim, claro, muitos não chegam a esse extremo, meu irmão por exemplo bebe muito mas nunca matou nunca roubou. Mas, nós nunca saberemos o que essas drogas podem fazer conosco, até que seja muito tarde, nem todos reagem da mesma maneira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s