desabafando

Estive conversando ainda há pouco com um amigo. Acabei desabafando de mais sobre minha vida profissional, sobre o que penso e desejo, rsrs. Certezas ou não, ao menos é sempre bom parar para refletir sobre o rumo que vou seguindo.

Sobre se eu quero trabalhar com propaganda, por enquanto não mais, quero focar no meu trabalho mais autoral, mexer mais um lado artístico. É o que quero fazer, se puder um dia largar tudo, parar de trabalhar em empresa e viver só do meu trabalho, ficarei muito feliz. Trabalho com design já há pouco mais de 5 anos, no mesmo lugar, saturado de algumas coisas já, e é difícil sair, porque o mercado é “do mal”, coisa feia mesmo.

E o curso (Portfolio, na ESPM) ainda me mostrou um lado mais amargo ainda disso tudo, e me fez ver que em agências, desse porte, com esse nível (de pessoas e estrutura) definitivamente eu não me encaixaria, e isso por um lado é ótimo, ao menos pra mim.

Eu tenho namorada, planos de casar mais pra frente, quero e preciso me dedicar a um trabalho que eu ache justo e verdadeiro, uma parada que me dê prazer e leve isso também a outras pessoas. E isso, infelizmente, fica um pouco de fora desse mercado todo, nós sabemos que fazemos nosso trabalho digno no dia-a-dia, mas há muita falsidade aí no meio também, coisas que me fazerem diariamente pensar… Ao menos eu trabalho num lugar aonde, tendo ou não liberdade de falar e me expressar, eu falo mesmo, seja para xingar meu chefe (que é um grande amigo meu) ou gerente ou quem for… e eu falo, porque não dá pra engolir sapos o tempo todo e ainda baixar a guarda pra deixar o bonde passar, pois o bonde passa, leva um monte de coisas junto, e se bobearmos somos sempre deixados para trás.

Mas eu também não sou revoltado assim o tempo todo não, rs.

Só que eu me permito dizer “sim” e “não”, e sempre acreditei que andar e crescer nunca é só para frente e para cima (“para o alto e avante” ou “para o infinito e além”). Na vida andamos pra frente sim, e devemos saber olhar para trás, ter humildade, pedir ajuda, saber a hora de pegar o caminho mais longo ou o mais curto, não por comodidade, mas por relevância.

Quanto a esse lado profissional, eu coloquei uma coisa na cabeça e pretendo seguir até quando aguentar. Pelo que vi, pouco que conheci, no momento só há tem 3 lugares que pretendo trabalhar: aonde estou (porque cresci ali e encontrei pessoas muito especiais, que me fizeram enxergar e encarar o mundo como um profissional e acima disso, uma pessoa melhor, descobri muito sobre amizade e amor, mesmo que algumas dessas pessoas não estejam mais, mas ainda carrego comigo algo muito especial que aprendi, e aprendo ainda hoje); outro lugar, que é meu sonho, é a Tátil Design (pois admiro muito o trabalho, e ainda entendo que é algo sério, sincero e profissional); e outra situação seria voltar a trabalhar com minha primeira chefe (pois ela é uma pessoa incrível, e sabe respeitar, dar espaço e confiar). Felizmente, ou infelizmente sei lá, eu não consigo tirar meu coração do trabalho que faço, isso pode atrapalhar bastante, mas se não for dessa forma, eu prefiro não fazer. E já algumas vezes tentei ser firme em afirmar e me retirar quando não quis executar algo com que não concordava.

O fato é que ajudar as pessoas é muito mais gratificante. Ajudar é muito melhor do que simplesmente trabalhar, pois as pessoas dão valor, na maioria das vezes. Me entregar e coração é muito melhor que me entregar somente enquanto trabalhador assalariado.

Desejo do fundo do meu coração, poder realizar meu trabalho em paz e feliz. =)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s