dia simples

Disparo contra o sol / Sou forte, sou por acaso / Minha metralhadora cheia de mágoas / Eu sou um cara (Cazuza, “O tempo não pára“)

… é, a vida de simples tem pouco. Mas o pouco faz-se muito e é grande, é real. A simplicidade da vida é tão complexa que horas dá medo, horas dá alegria inexplicavelmente jovial, como criança que brinca e se lambuza.

Estou num momento “crise existencial” crítico, contraste, coisa estranha. De férias, meio relaxado, meio tenso, relaxado até de mais (no desleixo da palavra), triste, chateado, sensível e nervoso, ao tempo que me encho de paz e felicidade com meu amor. É estranho mesmo.

Mas hoje, me permiti sair da jaula e encarar o sol nervoso da tarde e caminhar até o Méier (Zona Norte, Rio de Janeiro), como há meses não fazia. E que boas lembranças me vieram, que momento agradável de caminhada firme, forte e intensa, constante, pra enrijecer as pernas e massagear o cérebro, respirar, oxigená-lo.

Qual não foi minha alegria de entrar na agência dos Correios com um pacote de caderno debaixo do braço, uma entrega para uma amiga distante, e ver a enorme fila. Opa, uma senha, e o relógio do meu celular comprovadamente errado, mas tudo bem, há um enorme ventilador para refrescar. Nem cinco minutos na fila para perceber que aquela espera além de longa seria muito divertida. Ah, a vida e a alegria contagiante das pessoas alheias, o desconhecido é às vezes o melhor dos humoristas que dão graça a vida. A moça na minha frente se perdeu em observações e logo suas reclamações ganharam graça, piadas e risadas por parte do cômico segurança da agência, melhor espírito não poderia haver no dia de hoje. E a conscidência da outra moça que perguntou “você gosta de rock, né?” Minha resposta não poderia ser outra senão um aceno de cabeça. E ela me recomendou passar na loja Outside, do meu amigo Eduardo, onde eu já me programava em ir. Estranhos fatos e conspirações (boas) da vida. Entre piadas, pitacos, senhas, risadas, chegou meu número: 699 e preenchendo um formulário, logo meu pacote estava pronto para viajar para São Paulo. Uma etapa vencida.

Saí dali fui dar uma volta pelo Shopping do Méier. Em pensar que há anos era um programa quase diário, depois quase todo final de semana, passear pela Dias da Cruz, vendo as lojinhas de CDs se mudarem, depois fecharem de vez, as mudanças, decadências e melhorias. (Faltou passar pela loja de quadrinhos) Hoje é um programa que faço pouco, mas não deixarei que se torne raro. Água, por favor, e vamos em frente. Lojas Americanas, e ainda é possível entrar, em meio a tantos ovos de Páscoa, em poucos dias se tornará um formigueiro de chocólatras.

Hora de rever um lugar quase sagrado para mim. Sagrado no sentido de ser um local de aprender, conhecer e sentir a criatividade musical, cultural, crítica, da cena alternativa. Outside CDs, loja do ícone Edardo Pletsch, um local estratégico, um lugar de resistência. Bom rever o amigo, trocar ideia, ouvir boa música, sentir aquela atmosfera, para mim várias lembranças. Finalmente comprei 2 ítens há muito esperados: o CD “RRRRRRROCK” da banda Autoramas e o livro “Caras dessa idade já não lêem manuais” do Leonardo Panço, músico (banda Jason), jornalista, ícone recluso do underground carioca. Super curioso ver uma menina magrinha e sua sacola cheia de coisas para colocar no brechó da loja. Divertido de mais aquele tal de roupa pra cá, sapato pra lá, coloca preço… rs. Coisa que não esperava numa terça-feira quente no Rio de Janeiro.

A caminhada de volta sempre passa mais rápida, o caminho é curto quando a mente está leve.

A vida nos surpreende, e agrada quando precisamos. E eu estava mesmo precisando de um dia simples.

> Recomendo:
Outside CD`s
Rua Dias da Cruz, 143, loja 205
Méier, Rio de Janeiro, RJ
Tel (21) 3899-0888

> Ouvindo: Secos & Molhados

Anúncios

8 pensamentos sobre “dia simples

  1. A Outside é bem legal mesmo, já estive lá inclusive com o Matheus hehehehe.

    Aquela outra loja de cd na galeria do Imperator fechou mesmo ??

    Depois me ensina a usar o last.fm, muito consuso o site, entrei na rádio do Raul e tocava Charlie Brown, Matanza, Ira… Tava legal, mas queria ouvir o Raul ! Toca Raul !!!

    Aproveita aí as férias, mês que vem sou eu. Te+

  2. “é, a vida de simples tem pouco. Mas o pouco faz-se muito e é grande, é real. ”

    Que texto inspirado e inspirador!

    Parabéns! :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s