não tenha medo

Final do ano rolou uma apresentação no trabalho e fui surpreendido pois meu chefe (e amigo) colocou na apresentação uma foto do meu monitor com um post-it com o seguinte recado: “Não tenha medo”. Foi um recado que deixei para mim mesmo, provavelmente no meio do ano, para me lembrar diariamente de não ter medo, de tentar encarar as situações, sem escapismos, sem medinhos, sem conversa fiada, ou seja, na lata.

Um dos motivos que me motivou a registrar esse recadinho para mim mesmo foi o mais literal possível: { não ter medo }, não ter aquela sensação de frio na barriga, o nervosismo, a insegurança de não saber o que fazer, se realmente fazer, porque, e as consequencias disso. E não ter medo de falar o que penso, não ter medo de encarar e não ter medo de dizer não, está aí um exercício muito bom. Não ter medo de aconselhar, correndo todos os risco, e os aceitando, como por exemplo aconselhar errado. Também não ter medo de me calar, mas não calar de medo, mas calar para deixar que outras pessoas tomem suas próprias decisões, escolhas e aceitem suas consequencias. Não ter medo de assumir certas responsabilidade. E finalmente não ter medo daquela vontade louca de jogar tudo pro alto, mandar pro inferno e seguir outros rumos.

Falando assim até parece que sou lá grande corajoso, sou nada! Falando assim até parece que curei minhas inseguranças, dúvidas, que me sinto mais firme, pé no chão, cabeça nas nuvens e coração batendo saudável com consciência tranquila. Não mesmo. Continuo o mesmo virginiano tímido, caladão, mas com calos já doendo por não aguentar certas coisas, que aprendi com o tempo a jogar bonito no ventilador e deixar o circo pegar fogo.

O fato de { não ter medo } é somente para ganhar um pouco de confiança, ou ao menos na hora da dúvida entre fazer ou não, responder ou não… tomar uma atitude, que não necessariamente seja a atitude correta, mas é uma questão importantíssima o fato de tomar uma decisão, fazer uma escolha. { Não ter medo } não tem nada a ver com tornar-se frio, calculista, racional, distante. E também { não ter medo } não tem necessariamente nada a ver com coragem. Afinal de contas, não podemos ter medo de nos expressar, de dizer o que sentimos, pensamos, não termos medos de abraçar, beijar, de dizer que amamos, não ter medo de amizade, não ter medo de nos entregarmos, doarmos, não ter medo de estender a mão, sem pedir nada em troca.

E além disso, e absolutamente muito importante, tão importante quanto isso tudo, é { não ter medo de ter medo }. Medo é uma coisa normal. Não quero dizer que { não tenha medo } seja interpretado com exterminar o medo, pelo contrário, é o fato de saber conviver e administrar o medo. Saber separar aquele medinho pequeno, que é mais coisa de cabeça do que um medo que represente realmente alguma ameaça. Medo eu sinto, creio que você também, os animais sentem, faz parte da natureza. E { não ter medo de ter medo } quer dizer que o medo está aí, para ser vivido, encarado, superado, é um processo, mais um aprendizado.

Negar o medo é esconder uma verdade, é um escapismo, uma falsidade, é varrer para baixo do tapete aquilo que não sabemos encarar. Assumir o medo é assumir e tomar o primeiro passo para tentar superar esse trauma.

~ ~ ~
Ouvindo: Lobão – Decadence Avec Elegance

Anúncios

3 pensamentos sobre “não tenha medo

  1. Não é puxa-saquismo(?) ou qualquer desses comentários clichês, mas é que te acho sensacional. Já disse isso? Tenho uma puta vontade de escrever deliberadamente nesse diário virtual que chamam de blog mas não sei por que sinto pudor. E lendo teus posts, além do reconhecimento, sinto quase que uma liberdade de não sei o quê. Ouve períodos de ter medo de ter medo. E me aprisionava. Marcava no meu caderno de ensino médio, no cabeçalho, “Que seja doce!”. Bom, e foi. “Assumir o medo é assumir e tomar o primeiro passo para tentar superar esse trauma”, fatão. Aprendendo a usar essa bagaça(blog): te linkei. Abraço.

    • Oi Kamila.

      Fiquei super feliz com seu comentário, feliz por saber que gosta dos meus textos, do que escrevo. Sabe, é muito bom poder desabafar, colocar pro fora, sem medo. A vida já dá tanto medinho e neura de tudo, como nos vestimos, como nos comportamos, o que e com quem falamos, o que comemos, aonda vamos… isso tudo gera um campo de energia que se for um pouquinho pro negativo, pronto, rapidamente se torna uma grande bola de neve com esterco, cadáveres, lixo, lixo tóxico, crime… e tudo mais.

      Não tenha medo, coloque para fora suas ideias, aproveite esse espaço, e divirta-se. Creio que dê uma leveza enorme. =) Seus textos, seu blog é muito legal. Continue, deixe fluir.

      =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s