gatinho

Há algum tempo que uns gatinhos vivem aqui na rua, no início um, depois apareceu outro bem parecido, uma vez eram três, e ainda tem um que fica deitadinho aqui no muro com o vizinho, esse tem coleira. São tão fofinhos, lindos, se pudesse pegava um para criar, mas meus pais não gostam então não tem como cuidar aqui em casa. De vez em quando alguém na rua deixa comida para eles.

Engraçado foi uma madrugada, eu arrumando um armário até tarde e ouço um barulho estranho vindo de fora, pensei que fossem os morcegos das árvores. Abri a janela e vi um dos gatos de tocaia esperando por um pequeno camundongo. Foi a primeira vez que vi os dois gatos brancos e amarelinhos juntos, e logo apareceu um terceiro. Não sei se estavam caçando ou brincando, mas ficaram lá um bom tempo.

Teve aquela vez em que estava sozinho em casa, acho que uma noite de chuva como hoje, minha janela fechada, abri para espiar e lá estava ele. Peguei um pedacinho de pão e quando fui jogar ele fugiu. Fechei a janela, quando vi, ele havia pulado e ficou sentadinho no mármore, do lado de fora da janela, isso que ele pulou e passou pela grade, se a janela estivesse aberta ele entrava no meu quarto. Se bem que gato é sempre meio desconfiado.

Outra vez, estava para sair bem cedo e fiquei no portão próximo a rua esperando um taxi, deixei minha mochila e uns pacotes encostados no mudo, ele logo veio cheirar, passou por trás da mochila e quase entrou. Tirei algumas fotos, e ele lá miando. Foi a primeira vez que passei a mão nele.

Hoje cheguei em casa, passei por um, dois portões de grade, a porta de madeira estava aberta e ao olhar para dentro do corredor do prédio lá estava ele deitado no tapete do meu vizinho. Tão lindo. Abri a porta para entrar, sem querer incomodar, mas logo ele veio miando e quase correndo para fora. Eu falei que ele podia voltar. Se meu pai estivesse em casa já teria jogado água. Entrei e depois voltei, dei uma espiada pela janelinha da porta e ele havia voltado a deitar no tapete do vizinho, tirei mais algumas fotos. Depois voltei e haviam acendido a luz, ele tinha ido embora.

Anúncios

6 pensamentos sobre “gatinho

    • Acho que as coisas simples são por si só as mais encantadoras, e por trás disso há uma complexidade enorme, mas daquela complexidade que um sorriso juvenil faz querer esquecer de perguntar como funcionam. E isso é tão bom… =)

      Abraço, meu amigo.

      • Roger,
        Conheço histórias semelhantes a essa, a 20 anos atrás ninguém na minha familia pensava em ter um animal dentro de casa, foi quando eu apareci com um filhote de gato para dar de presente para uma namorada (a minha ex-sogra quase me matou tb, mais depois ficou apaixonada pelo Tchaikovsky), ele ficou uma semana la em casa e quase não sai mais…um ano depois eu resolvi dar de presente para minha mãe uma gatinha (que mudou a vida de todos naquela casa) a “pretinha” como era chamada deu cria e 5 outros gatos formaram um linda família. Eu hoje tenho um grande amigo que vc conhece o five oclock um gatinho 10. Um forte abraço amigo e espero que um dia você acorde de manhã com algumas lambidas no queixo.

  1. Rogério,
    Já faz mais de um ano que um gatinho muito pequeno, triste e magrelo apareceu por aqui. Todos os dias vinha me visitar, e por incrível que pareça surgiu num momento da minha vida que estava muito para baixo. Numa visita resolvi oferecer-lhe um pote de leite, esperou eu sair e o leite foi devorado rapidamente. Foram várias e várias visitas sem contato físico, e um dia coloquei um pote de ração e quando vi, o gatinho já estava do meu lado, devorando-a. Em agradecimento deixou que eu fizesse um gostoso carinho que foi respondido com uma enroscada na minha perna. Muito bom! Nesse momento um adotou o outro!As visitas continuaram e um belo dia, comentando com os meus pais, esse belo gatinho recebeu o nome de Frajola, dado pelo Seu Niltinho! O Frajola hoje é forte, feliz e gordinho!Adora ficar embaixo da Aceroleira só escutando os passarinhos! Nesse momento está completamente apagado no sofá sonhando, sonhando com as gatinhas! Sempre digo que os animais tiram da gente a nossa melhor parte, pois é uma relação sincera, pura e com muito amor! Assim nos tornamos pessoas muito muito melhores! Pelo que eu senti no seu texto um já adotou o outro! Um beijo grande. Carla.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s