o quanto aprendemos

Talvez já seja um tema recorrente, que comentei por aqui algumas vezes, de algo que acredito e que tenho certeza cada vez mais quanto ao fato de que cada dia, cada momento é uma nova oportunidade de aprendermos um pouco mais sobre tudo e qualquer coisa. Na verdade “qualquer coisa” nunca é qualquer coisa, é sempre parte de um todo muito grande que nunca é todo e absoluto, é vivo.

Desde o momento em que nascemos, e não o ato físico ou simbólico de nascer, mas mesmo antes de “virmos ao mundo” já estamos vivos de alguma forma, e a partir desse momento já vimos aprendendo muito, tateando, descobrindo, sentido. E assim será até o último dos dias, até o último suspiro ou último sorriso, e até mesmo após esse “fim” continuará a existir o aprendizado, algo infinitamente, grande, defícil de imaginar ou medir.

Aprender novas formas de dizer eu te amo: baixinho para quem pouco ouve; silencioso para quem já não responde; com um olhar ou carinho ou um beijo. Agradecendo mais do que pedindo. Aprendendo a ser alguém um pouco maior, descobrindo que a vida é muito além do que se pode compreender. Um choro, um abraço, uma mão procurando a outra na simplicidade que força alguma pode alcançar, o inexplicável toque de vida.

Hoje já não quero mais bater portas, pois de nada há de crescer em meio a infantilidade de não enxergar a positividade das coisas. Faz bem é a natureza, que sopra vento batendo as portas e janelas de brincadeira. Como a vida é boa ao simples sopro de brisa leve e tranquila, despreocupada.

Palavras fazem muita diferença, vibrações positivas que passam energia pura, pena e que provocam mudanças. “Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato“. Em minhas reflexões e pedidos aos mestres tenho buscado “generosidade, paciência e criatividade”, por minhas razões e por tentar fazer de cada dia uma oportunidade de fazer algo melhor.

Se isso não é aprender um pouco a cada momento, então ainda me resta muito que caminhar, conhecer, observar, realizar e aprender.

Como aprender uma nova forma de dobrar um papelzinho. Fazer cada pequena peça ou pedaçco, não importa ter que fazer centenas de vezes pois no final será algo maior e mais bonito, rico em significado, rico naquilo que poderá tocar as pessoas e fazer a diferença e um sorriso no rosto.

Mãe, te amo  muito, e obrigado sempre por tudo.

Obrigado pais, irmão, familiares, namorasa e amigos pelo carinho e amizade.

Anúncios

2 pensamentos sobre “o quanto aprendemos

  1. Dá pra sentir o seu amor transbordando em cada palavra nesse texto… emocionante mesmo!! E adorei demais isso aqui:

    “Faz bem é a natureza, que sopra vento batendo as portas e janelas de brincadeira. Como a vida é boa ao simples sopro de brisa leve e tranquila, despreocupada.”

    Estou neste exato momento bem perto de uma janela, sentindo o vento entrar, um sol de leve e o som dos pássaros… e tudo isso concordando com o que você escreveu!

    Um grande abraço, meu amigo!!

    • Oi meu amigo.

      Fico sempre muito feliz cada vez que leio um texto seu, e feliz também com cada comentário que me deixa. Me sinto confortavelmente conversando de forma tão natural com alguém que me compreende nem sabemos como. Não é verdade?

      Li seu comentário logo pela manhã cedo, só não respondi pois estava no trabalho. MAs aqui estou eu para agradecer. Muito obrigado. E que esses pássaros passeiem todos os dias por sua janela.

      Abração. =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s