textos arrependidos


Textos esquecidos antes mesmo de serem escritos, ficando na falta de lembranças, a falta daquilo que em algum momento fez sentido ser dito. Perdem-se entre dedos, entre teclas, em tela, como algo enterrado no tempo. Muita coisa escrevi e guardei, não publiquei. Muita coisa ficou na cabeça, em intermináveis diálogos comigo mesmo, entre o que queria dizer a mim ou o que eu gostaria de ter ouvido. Entre o que eu queria dizer a você, ou a você, ou a você, … ou a outras tantas pessoas. Mas me coube guardar, ou me recolher em calar. Não me arrependo do que fiz, vivi, disse, demonstrei ou mesmo que tenha deixado de fazer, viver, dizer e demonstrar. Não me arrependo dos meus desabafos nem dos meus textos calados, guardados no rascunho, que nunca serão lidos por ninguém. Nem me arrependo de não ter escrito o que deveria. Pois tudo pode de alguma forma se resolver e curar. Mesmo as lágrimas que caem, são de dor, ou de querer e não e arrependimento. Errei sim, e muito! Causei mais dor do que a que sinto. Mas minha dor também tem valor e significado. Não cabe nem a mim julgar, ser juiz das minhas falhas, mas me policiar para superá-las.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s