seja


Seja a transformação, a cura, a razão, a pureza que você mesmo deseja, seja a bondade, a humanidade, o amor, a força. Seja e acredite. Gandhi tinha razão. Não adianta buscar isso no mundo, em pessoas, bens ou coisas, se não partir algo sincero dentro de si.

Já despertaram coisas muito boas e ruins em mim. Também acredito já ter ajudado a despertar coisas boas em outras pessoas. Percebi como ainda tenho muitos defeitos e o que melhorar. Mas não posso me diminuir e tenho que acreditar também nas minhas qualidades, não teria chegado até aqui sem elas. 

Seja a grandeza com humildade, o amor sem cobrança, a dedicação sem dor. Seja ajuda sem querer nada em troca. Pois virá naturalmente um mundo de coisas boas. Seja paz, e harmonia virá na medida e simplicidade certas. 

no meio do caminho


No meio do caminho tinha um caminho. Se antes não sabia por onde andava, agora me encanta não saber onde poderei me permitir ir. No meio do caminho caminhei, corri, pedalei, cai, tive que parar, voltei, recomecei, descobri rotas, sentimentos, sabores e encontrei um pouco mais de mim. Continuarei caminhando e preenchendo a vida de tudo aquilo que puder descobrir. 

montanha

Corpo eleva-se ao mais baixo e humilde de si
se não houver essência
se não houver o mais fundamental de si
nunca será possível elevar-se

corpo é parte
é reflexo, meio, artifício e instrumento
é força física
mas a mente, a consciência, o espírito
são motores invisíveis que movem mundos que nem imaginamos
em vem de confronto, devemos reunir forças em conjunto

há de se ter equilíbrio
pois é fininha a linha entre o caminhar e o cair
a busca é por harmonizar
pois na hora de voar: mente e corpo devem planar
na hora de fincar raízes: mente e corpo devem se plantar

na hora de chorar, a alma é uma criança inocente
o corpo é só cachoeira

tantos mistérios
tantas descobertas
tanto exercício e busca
tantas coisas para analisar

somos pequenininhos
somos montanhas
somos grãos
somos rocha
somos frágeis
somos pura força

no fundo somos mistérios
que nós mesmos devemos decifras.

aventura do coração imortal

Você pode sentir arranhar a garganta, o relógio apontando seu ponteiro no peito ferindo diretamente a mente, abrindo um buraco tão grande que não cabe nada. Não caberá o que passou e o que virá. O tempo se acaba mais e mais rápido, e dura infinitamente como não planejado. Mas há mais…

Dinheiro não compra coração, não compra verdade, não faz mentira, nada além do que as pessoas realmente se propõem a fazer. Mas um bom coração pode dar vida, pode curá-la, pode resgatar das profundezas alguém que se perdeu. Ou entregar às profundezas alguém que se deixou perder. Existirá sempre uma corda, mesmo que invisível, para resgatar o que vale a pena.

Vão-se os dedos, ficam os anéis. Corta-se a cabeça e resta o corpo sem vida. Fere-se o coração e não sobra nem a essência, somente se for muito forte. Fica uma pontinha de amargura, mas o coração sabe ser sentimental, sabe também ser maduro e depois ele te prova que você mesmo é que se perdeu em sentimentalismo, quando ele brincando, deixou você pensar que era ele que te deixava bobão, meloso. Ele já sabia a resposta, estava esperando você acompanhá-lo.

Coração não é vagabundo, mas é malandrinho. Coração não é de pedra, mas é forte. Coração não é só músculo, é sentimento que dá liga. Você pode até transplantar o coração, mas a alma dele continua amiga-irmã, companheira da sua.

Coração não morre, ele evolui. Coração como órgão é apenas essencial. Mas ele como essência é monumental.

vista

Vista cores e dispa-se de preconceitos
vista-se de preconceitos e arrependa-se por ser como é

vista-se de vida
e saberá que ela é muito melhor assim
sirva-se com as roupas do bem
sinta-se como se sua pele fosse o manto sagrado que te coloca em contato direto com a realidade
toque o ar, o mar, o sabor de todos os estímulos sensoriais
e se sentirá tão nu quanto completo e harmônico com tudo à sua volta

vista sabores e creia na sutileza e detalhes de cada um deles
e perceberá quantas e quantas coisas há entre o profundo inconsciente e o mais alto racional

acesse estrelas
pesque ilusões
cultive sonhos
transforme tudo em realidade
vista-se de música que conduz a vida
e deixe-se levar

ser feliz não sai de moda.

então pare de reclamar e vá beber água

Em vez de pensar no infinito distante, comece com o agora, com o próximo, com o horizonte distante. Antes de alcançar o infinito dê pulinhos de felicidade, suba cada degrau, escale um pé de feijão, se permita escorregar um pouco e cair em folhas e nuvens, se permita cair para cima e acordar deitando-se.

Para todo mal há de ter uma razão e um engrandecimento justificável. Para toda insegurança há um abraço, uma carícia, nem que seja no ego para torná-lo manso e sincero. Para 70% daquilo que nos atinge por dentro ou por fora podemos com água curar, com água nos transformar, e para os outros 30% há de mais águas rolarem, lavando e expandindo nossa percepção sobre a consciência e conhecimento próprio.

alcance

Alongar um pouco mais os braços, as pernas, esticar, conhecer um pouco mais os limites, esquecê-los e superá-los, ir além. Não se negar, nem condicionar o corpo a mensagens negativas, de “não poder”, “não conseguir”, pois tudo entra na mente no sentido de impor uma incapacidade assistida, uma preguiça ou aceitação daquilo que realmente não nos é natural. A mente não só coordena ou ajuda a coordenar, a mente também escuta, é coordenada, condicionada de acordo com aquilo que colocamos dentro dela.

Tentar ir um pouco mais além, ao meu ver e na minha crença e sentimento de busca e vivência diária, não pode ser apenas aquela busca compulsiva por apenas superar desafios e limites. Quanto mais tentarmos compulsivamente superar limites, quebrar recordes, romper barreiras, no puro sentido de uma ilusão ou mérito no sentido de orgulho, tentando provar algo a nós mesmo ou o que é pior, aos outros, estamos ao mesmo tempo nos afundando em limites invisíveis, nos prendendo a correntes, no meio de um círculo vicioso de apenas “superar desafios”, sempre e puramente somente isso. E onde fica então o sentido de tudo isso, o ideal, o real crescimento físico, mental, espiritual, onde fica a consciência e equilíbrio?

Tentar esticar mais um pouquinho, o corpo enferrujado sente, dói, mas prova que articulações, músculos e alguns ossinhos estão precisando de exercícios e lubrificação, e não é só vez ou outra que devemos lembras da existência deles, pois muito nos esquecemos. Alcançar a consciência é um exercício diário, físico, mas mental e muito espiritual, tudo aquilo que fazemos e como fazemos, sejam exercícios ou práticas, sejam palavras e gestos, ações, nos levam a um estado de compreendermos um pouquinho mais de nós mesmos, de nos percebermos diante do mundo e de outras pessoas e seres, uma relação mais harmônica com nosso ser e com o mundo, o universo.

~ ~ ~
Ouvindo: The Black Crowes