acordar para sonhar


Despertar para encantos da vida. Construir laços e agradecer a todas as energias do mundo pelos encontros que acontecem preenchendo nossos corações de alegria. 

Às vezes mudar de planos é seguir o plano certo. Às vezes mudar os caminhos é encontrar um novo, empolgante e feliz caminho na vida. É bom abrir os olhos e acordar para viver um sonho real. 

carregue consigo uma caixinha de amor


Sem arte a vida não é nada senão vida sem arte. Sem vida a arte não existiria. Com poesia a vida ganha mais cores, flores, texturas e sabores, mais encantos, risos, sorrisos e abraços. As ideias estão nos olhos: de quem vê e de quem se vê. Toque-se, toque o coração de alguém, vá sem medo. Mas se der medo, na boa, não esconda sentimentos, vá! Converse com um estranho, não o olhe estranho, entenda, mesmo sem conhecer, que ele é tão vida e tão bonito quanto você. Seja poesia, pois o mundo tem mais encantos do que a gente imagina. 

esquecer


A vida me presenteou com falhas, que bom. Que benção enorme em ter falhas, para poder então a cada dia, a cada descoberta, cada pessoa, cada recaída, poder entender, assimilar e poder superar e amadurecer. No meu tempo de moleque não sabia o que era saudade, não compreendia amor, não vislumbrava um futuro ou carreira, não tinha memórias ou histórias, não sabia a proporção do que era amizade. Esquecer ou deixar de lado seria como negar a certeza de uma ignorância, que aos poucos vem sendo contornada e superada. Devo muito a tudo e todos que encontrei pelo caminho. Esquecer é negar evoluir. 

45


Mem cinco minutos guardados, eternizados em auge de mais puro sentimento foram argumentos fortes para sustentar a identitade líquida dos seres. Palavras doces, recaídas, esperanças, negações, mais esperanças vazias, conselhos e broncas, tentativas de abrir os olhos entre as lágrimas. Cinco segundos para decidir, quarenta e cinco para se arrepender, seis horas de reflexão e conselhos musicais abafados egoisticamente nos ouvidos. O que é (e o que nunca foi) amor nos dias de hoje? Como pessoas que escorrem pelos dedos, sentimentos negados, escolhas tomadas. O juiz também deixou o apito de lado e foi jogar, a vida segue correndo e ninguém quer perder. Tenho orgulho por ter tentado, sincero em mim, no meu ser. Nas lágrimas me fortaleço, pois lavo minha alma. 

rei da empada


Acorda cedo todo dia, antes de todos, para ver nascer o sol diante de si ao abrir a janela. Espreguiça leve, fazendo uma reverência como maestro regendo o astro maior. Toma seu banho no conforto de uma meia luz do banheiro silencioso. Canta para despertar e esquecer da água gelada. Se divide entre preparar o café e separar nobres iguarias e receitas, dispondo de tudo na enorme bancada. Mãos ágeis ao misturar cada elemento, em proporções e medidas tiradas de anos de experiência e dedicação, acariciando a massa, cultivando recheio como habilidoso alquimista de sabores. Enforma com precisa arte e delicadeza, recheia e tampa, sela e enfileira meticulosamente no tabuleiro como um jogo de xadrez. Ah, e cantarolando para harmonizar cada etapa do processo. Forno ligado, aquecido, acolhe o tabuleiro de forminhas, cozendo sabores no tempo certo da massa: a leveza, crocância e textura de desmanchar na boca. Uma a uma ele vai embalando e armazenando em suas prateleiras de venda, coloca sua camisa branca engomada, seu chapéu coroa a sábia cabeça, e sai pelas ruas espalhando delicioso aroma de suas iguarias. Logo logo crianças, pais e idosos se aproximam para degustar de tão belas preciosidades culinárias e mais um dia o rei da empada conquista súditos e garante seus sustento, além, e acima disso, a grande satisfação a qual se dedica por anos e anos, recheando sua vida de amor e sabor. 

me dê um gole de vida


Toda queda um sopro. Cada perda um encontro. No escuro uma luz. Em cada glória um recado. Perspectivas, expectativas, pontos de vista, desilusões e frustrações, momentos de profundo vazio ou de êxtase em alegrias e realizações. Sentimentos fervilhando na mente, ideias e planos em conexão no coração. Cada respirada mais profunda um novo gole de vida. 

pequenas coisas


Não vá assim me deixando pura lágrima, pois em mim apaga mais uma bela chama. Estive tão perto do fogo, tão perto do olho do furacão, senti a alma transbordar pelo corpo e quase sair dele pela boca. Eu não aguento mais. Estive tão perto do que havia perdido, perto de alcançar de novo, e escorreu pelos dedos. Não me cabe julgar nem cobrar os outros, pois me cabem tantas fraquezas, defeitos, erros, falhas, falta em mim muito que agarrar e defender com unhas e dentes. Para alcançar o que quero às vezes não basta só querer, só vontade, é preciso um pouco mais, vindo de dentro. Me resumo a pequenas coisas. 

medo do sentido (recados espirituais)


Eu perdi o meu medo, meu medo do medo. Eu passei a gostar do bem que a chuva me faz. Eu passei a viver momentos, ser visual e volúvel como a vontade. Eu pedi e perdi um pouco de paz. Interiorizei algo que não consegui ainda conquistar. Me disseram que não me cabe ter. Eu perdi o sentido da vida. Escapou entre os dedos, escapou sem eu perceber e minha escolha ajudou a afastar. Minhas escolhas me fizeram parecer confuso e falso, parecendo superficial. Será que irei um dia encontrar? Meu medo, olhando pela janela é não me ver pertencente a esse mundo, não merecedor de tal sentimento que tanto respeito e quero para me completar, para me fazer ter sentido. 

33

33 maneiras de ver o mundo, 33 anos tentando interpretar sentimentos, sensações e descobrir o que é vida. 33 x 33 e contando: dúvidas e certeza, lágrimas e risos, tristezs e alegrias. 33 anos e ainda me sinto jovem, de vida e vontade de buscar o melhor, ser uma pessoa melhor, me entregar de cabeça, ser alguém de amizade, amor, hamonia e felicidade. Agradeço a todo mundo que fez e faz parte da minha vida.