mais gavetas do que mentes abertas

Há um certo ar de ironia na vida, quando em meios e tempos contemporâneos, de acesso a tudo, liberdade sobre tudo, ainda somos contraídos em herméticos pensamentos. Em que há sempre mentes vazias, mentes fechadas, mentes sofridas, pessoas na esquiva, energia perdida, frustrações, esforços em vão. Mais fácil fecharem as portas, as janelas, dizer um não, aceitar um não, do que ouvir boas opiniões. Se “de boas intenções o inferno está cheio”, então de boas ideias as gavetas também estão. 

De teias de aranhas temos que tecer uma trama de ramificadas possibilidades. Não uma armadilha, mas uma bela, positiva e sutil fuga ao infinito. Abrir as gavetas e botar as ideias em prática. Abrir a mente e botar a vida em prática. 

Anúncios

e quando eu voltar


Eu vou lá, seguir em frente em busca, a caminho da felicidade. Me abraço, me consolo e conforto, me olho nos olhos e me toco o coração. Aproximo da razão, recheada de emoção, pois assim sou. Eu preciso andar. E de dentro para fora buscar forças, para alcançar. O que falta preencher no meu eu, só a mim mesmo cabe completar. Quem quiser, virá apenas a somar e compartilhar, e que venha de peito aberto também. Estou chegando…

caminhos que se encontram


Caminhos que se encontram sem sair do lugar. Montanhas que se movem pela grande e furiosa força que humano nenhum é capaz de domar. Olhares que dizem muito mais que palavras. Palavras ditas claramente mas que escondem significados. Sentimentos dos mais puros que se possa ter por algém. São caminhos para alcançar algo, mesmo que não haja busca nesse sentido. Amizades que se formam ao acaso, mas que marcam e ficam para sempre. Felicidade nos detalhes. Gratidão pelas oportunidades. Caminhos para buscar e viver. 

a vida é… (parte 3)


A vida é como uma passagem: só de ida, só de volta, ou por tantos caminhos que podemos nos encontrar ou perder. De tantas surpresas, sonhos e encantos que encontramos pelo caminho, os planos e vontades, as buscas, mas também decepções e desencontros. Cada caminho soma um pouco mais ao nosso eu, e ao longo do caminho também somamos e deixamos um pouco do nosso eu às pessoas e locais ao nosso redor. Passa o tempo, lugares, momentos, e às vezes abandonamos o que somos pra trás. Às vezes a busca que é o caminho, uma passagem certa com bilhete premiado.