mil e uma

Mil lágrimas cairão, borrando a pele, lavando a alma, carregando boas e más lembranças. Mil em mil lágrimas pousarão, banhando o chão do que não lhe pertence. Um mar sob os pés, um mundo no qual se afogar, braçadas incertas em busca da superfície para respirar ou margem para escapar. Mil em mil, mil e uma, mil em uma. Mil vezes dizer e repetir, acertar e errar, mil escolhas e caminhos, mil formas de dizer o que não é óbvio, mil formas de esconder. Mil vezes mil. De tantas mil formas que não cabem em dedos, parecendo tantas quase impossíveis de contar, mas finitas. A cada mil bote mais mil, prolongue as chances e tente o impossível, mas tente. Mil formas de cair significam mil chances de levantar.