galáxias


Somos seres humanos, mundanos, munidos de energia, matéria e um monte de coisas inexplicáveis. Somos forças e fraquezas, sujeitos a forças e vetores que nos prendem ao chão ou jogam aos quatro ventos. Rompemos continentes e movemos montanhas, repartimos e achamos que descobrimos a menor das menos partes que nos compõem, e saímos da esfera terrestre. Partimos rumo ao desconhecido universo da mente humana e seus segredos. 

Fomos atrás de sonhos e aprendemos o poder de acredirar. 

Somos pequenos perto da imensidão das galáxias. Nossa insignificante proporção é que nos torna tão importantes em significado. Ao mesmo tempo que somos compostos por moléculas e outras coisinhas tão nano que nem conseguimos medir, o universo é composto por milhares de seres, como eu, como você, como outras espécies e seres que talvez nunca iremos esbarrar pelo caminho, mas existem, coexistem. 

Não somos nada sem os menores e os maiores ao nosso lado e acima de nós. Como também a imensidão das galáxias não seria a mesma sem o brilho dos nossos olhos. 

para onde quer que eu vá


Se eu me perder, ainda assim farei da tristeza companhia. Se cair, ainda assim farei do nada uma oportunidade. Se me faltarem palavras, tentarei gestos. Se me faltarem palavras e gestos, ainda assim tentarei qualquer forma que tiver para demonstrar o que sou ou o que preciso, mesmo precisando de ajuda. 

Se me sobrar alegria, que tenha sabedoria em cultivá-la e generosidade em compartilhá-la. 

Se me faltar luz por onde andar, que as sombras sejam um conforto fresco. Se ao contrário me faltarem sombras, que seja o sol não o que queima, mas o que ilumina ou recarrega e ativa energias. 

Se me sobrarem dúvidas, que saiba conviver com elas e buscar as respostas cabíveia e justas. As que não tiverem respostas, que sejam passos pelo caminho, ou tempero. 

Se tiver mais respostas que dúvidas, que então tenha sabedoria em questionar a razão, e generosidade em compartilhar essas certezas. Aprender muito mais em poder ajudar. 

Para onde quer que eu vá, que haja caminho por fazer destinos. 

no meio do caminho


“No meio do caminho tinha uma pedra.” No meio do caminho eu era a pedra. Atrapalhando o caminho, o meu e de outros, impedindo passagem, dificultando, causando tropeços e encontrões. No meio eu era caminho, no fundo eu era caminho, pelo caminho fui só uma passagem na vida de algumas pessoas, história, memória, lembrança, algo para guardar ou apagar. Eu mesmo deixei pelo caminho lembranças e oportunidades, um pouco de mim e do que sinto, perdi. Meio, parte, incompleto, inconsistente, completamente imperfeito no viver e no ser: errante. E pelo caminho eu sigo, ainda, no meio do caminho. 

caminhos que se encontram


Caminhos que se encontram sem sair do lugar. Montanhas que se movem pela grande e furiosa força que humano nenhum é capaz de domar. Olhares que dizem muito mais que palavras. Palavras ditas claramente mas que escondem significados. Sentimentos dos mais puros que se possa ter por algém. São caminhos para alcançar algo, mesmo que não haja busca nesse sentido. Amizades que se formam ao acaso, mas que marcam e ficam para sempre. Felicidade nos detalhes. Gratidão pelas oportunidades. Caminhos para buscar e viver. 

no meio do caminho


No meio do caminho tinha um caminho. Se antes não sabia por onde andava, agora me encanta não saber onde poderei me permitir ir. No meio do caminho caminhei, corri, pedalei, cai, tive que parar, voltei, recomecei, descobri rotas, sentimentos, sabores e encontrei um pouco mais de mim. Continuarei caminhando e preenchendo a vida de tudo aquilo que puder descobrir. 

a vida é… (parte 3)


A vida é como uma passagem: só de ida, só de volta, ou por tantos caminhos que podemos nos encontrar ou perder. De tantas surpresas, sonhos e encantos que encontramos pelo caminho, os planos e vontades, as buscas, mas também decepções e desencontros. Cada caminho soma um pouco mais ao nosso eu, e ao longo do caminho também somamos e deixamos um pouco do nosso eu às pessoas e locais ao nosso redor. Passa o tempo, lugares, momentos, e às vezes abandonamos o que somos pra trás. Às vezes a busca que é o caminho, uma passagem certa com bilhete premiado.