eu erro

Cansado dos xingamentos, do calor das pessoas e do calor da cidade.
As vidas lotadas de falta de sentido e as dúvidas.
A vida é um ônibus? De passagem? Ou dê passagem?
Cansado de ter que escolher e não saber por onde começar.
Não entendo porque tanto rivotril ou dorflex, enquanto as pessoas nem sequer bebem água direito, ou de boa qualidade.
Escadas para subir, barrancos por cair.
Andadores artificiais, preguiça até de chamar o elevador.
As obras que nunca acabam, e as necessidades básicas nunca sanadas.
Furar fila, entras no ônibus sem pagar, pular a roleta ou entrar pela janela.
Quando lembrar de dar bom dia já é quase hora de ir embora.
Cansado dos tiros, da falsa segurança, cansado do medo.
Pessoas cheias de razão, cheias de si.
Virar a cara para o próximo, não ter a mão generosa, e ainda ser pedinte mal agradecido.
Cartazes nas ruas que não dizem nada.
Pessoas que não conversam com livros.
Digitalização da banalidade.
Eu erro, tu erras, ele erra, nós erramos, vós errais, eles erram.
Eu era, eles eram…

o Rio de Janeiro continua

O Largo dos Leões não tem leão algum
em Jacarepaguá, o jacaré no seco anda…
a Praça Paris não tem nada do charme europeu
o Largo da Segunda-feira está lá todos os dias, mesmo nas folgas
o Engenho Novo não é engenho, e tão velho quanto o velho
o antigo Jardim Zoológico nunca mais foi um zoo
o Pão de Açúcar não é doce, mas é um sonho sua paisagem
na Vista Chinesa não precisa apertar os olhinhos, mantenha-os bem abertos
o Jardim é Botânico
e no Parque Lage ninguém levanta laje ou puxadinho

Vai rolar baile funk na passarela do samba
o carnaval é arte popular, não é mais só a festa da carne, mas farra da bebida
e a festa da avenida é na TV pra gringo ver
o barracão está mais para elite
a Princesinha do Mar está imprópria
já não é mais aquela garotinha pura e inocente
nem as meninas no calçadão…

O Maraca não é nosso
temos a maior torcida, mas os estádios vazios
todo campo de várzea tem mais craques e crack
e “todo camburão tem um pouco de navio negreiro”
“nossa terra tem palmeiras”, tiros de traçante e beira mar
“as aves que aqui gorjeiam”, as pipas empinadas, os meninos-aviõezinhos
o Morro Dois Irmãos, o Túnel Dois Irmãos, o Mirante Dois Irmãos
mas nos falta muita camaradagem

A moça de penduricalhos e salada de fruta na cabeça não é nossa
mas viva o “Chica Chica Boom Chic”

O Rio de Janeiro continua, imagina, mesmo depois da Copa.

http://migre.me/lI7cE

jogo

Dominamos o fogo
perdemos controle
aprendemos a controlar o fogo
perdemos controle

dominamos outras espécies
fomos surpreendidos por elas
impomos mais força e dominamos
perdemos controle

dominamos a terra
consumimos e exploramos
criamos recursos artificiais
perdemos controle

o coração não domina a mente
a mente não domina o coração
agimos sem razão
perdemos controle.

pensando…

Nem nossa própria mente nós podemos dominar, mas acima disso: devemos saber e buscar harmonizar.

. . .

É melhor sentir medo, mas se sentir vivo, do que ter coragem e ficar parado. O medo pode incomodar e impulsionar, enquanto que a coragem pode te fazer acomodar.

certo?

Por que é tão difícil seguir a linha, manter a cabeça em ordem, o centramento astral, o equilíbrio e não deixar um sentimento ruim se desenvolver?

O que custa as pessoas entenderem que às vezes só quero fazer o certo, o bem de uma forma que acredito ser digna, correta, sem precisar usar artifícios e atalhos ou gambiarras? Fazer errado pra dar certo não é comigo.

É tão errado assim querer acertar?

molde

Dedos que apontam não medem caráter
medidas extremas às vezes fogem do controle
pesos às vezes são só de papel
uma hora peso morto
uma hora peso leve
às vezes sobrecarregam as costas

o anel é forjado à medida do dedo
mas é o dedo que vai se moldando ao longo do tempo

atitudes podem transformar futuros
moldes podem tolher possibilidades.

insuficiente

Eu sou, eu não sou
o que você espera, o que eu posso
o que eu desejo, o que você tolera

eu não sou, eu sou
o que se enquadra, o que os outros aceitam
o que os outros rejeitam, o que se resguarda

nunca completo
nunca por inteiro
longe de ser perfeito
nunca isento de dúvidas
nunca cheio de certeza

eu sou a negação, o sim e o não
o que se pergunta, o que não responde
o que não se nega, que talvez não se assuma.

*   *   *

Às vezes a gente recebe um tapa na cara e fica achando que o mundo caiu, a casa caiu. Se foi tudo por água abaixo foi porque nossas vontades e o tempo, nossos conceitos e ideologias, já não batem mais com o que se espera.

Nós que mudamos? Devemos mudar, nos adaptar ou também esperar que outros abram suas cabeças percebendo que nem tudo pode ser como se deseja?

Já temos tantos problemas, dúvidas internas, expectativas, decepções, que fica chato receber esse tipo de cobrança o tempo todo. Cansa, desgasta.

É humilhante se sentir insuficiente. É humilhante ser taxado como incompetente, pouco ou menor, ser rebaixado. É triste.

Mais insuficiente achar que é só isso, sem enxergar alternativas ou cair na maldita armadilha de se acomodar a uma existência que passa a não fazer mais sentido.

prostituição

grito_montagem

Me sinto usado, usado e abusado. Como um objeto barato e descartável, necessário apenas por não ter nada para pôr no lugar.

Prostituído por um salário que muitos perseguem como sanguessugas. Prendendo as próprias mãos nessas amarras e muletas, marginalizando a própria existência.

Me sinto um verme, coexistindo entre outros vermes e sua suja presença pervertida opressora. Como uma barata na própria sujeira e na sujeira alheia, viva ainda porque ninguém foi lá pisotear, à pesar de tudo.

Estuprado, em todos os sentidos, largado na sarjeta da hipocrisia, alheio, alienado, corrompido e canibalizado.